Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 10 de dezembro de 2011

Wilson foi apresentado na seccional por força de liminar.
O Vice prefeito do município de Rurópolis foi preso na tarde desta quinta feira (08) sob acusação de fazer parte de um consórcio que encomendou a morte do líder comunitário conhecido João da Gaita.
Depoimentos de Carlos Augusto da Silva, um dos acusados pelo assassinato do líder comunitário João Chupel e de varias testemunhas do caso embasaram o Ministério Público a pedir a prisão preventiva de Vilson Gonçalves, empresário influente do setor madeireiro e atual vice prefeito da cidade de ruropolis. O mandato de prisão foi expedido pelo juiz criminal Antonio José dos Santos.

Wilson estava tranquilo e seguro de sua inocencia.
O vice prefeito Vilson Gonçalves, foi preso em uma de suas propriedades no quilômetro 75 da Rodovia Santarém Cuiabá. Os policiais que participaram da operação afirmaram que no momento da abordagem o acusado não teria esboçado nenhum tipo de reação.
O veiculo conduzindo o vice prefeito Vilson Gonçalves chegou no porto de Itaituba por volta das treze e trinta de quinta feira e seguiu de imediato para a 19ª seccional urbana. O vice prefeito, ao ser entrevistado, disse não ser saber dos motivos de sua prisão. Vilson Gonçalves confirmou que conhecia João Chupel Primo e que já havia praticado atividades comerciais com a vitima. O empresario disse estar convicto de sua inocencia, e disse que recebeu a noticia com surpresa.
João Chupel Primo, 55 anos, foi morto com um tiro na cabeça no dia 22 de outubro em seu estabelecimento comercial no distrito de Miritituba algumas horas depois de denunciar exploração madeireira ilegal na Resex Riozinho do Anfrísio e na Floresta Nacional Trairão.
João da Gaita, como era conhecido, desempenhava o papel de liderança do projeto de assentamento Areia e de acordo com ele madeireiros vinham usando o assentamento como porta de entrada para as matas ainda relativamente preservadas que fazem parte do mosaico de conservação da terra do meio.
No dia 10 de novembro a policia prendeu Carlos Augusto da silva de 62 anos, que teria tido desavenças com a vitima dias antes do crime. Agostinho continua preso. um terceiro acusado está foragido; trata-se do madeireiro conhecido como Ruberto.
O promotor de justiça, Maurim Virgulino, disse que todos os acusados tiveram desavenças ou prejuízos provocados pelas denuncias de João Chupel.
O promotor disse ainda que todos os indícios levam a uma espécie de consorcio formado pelo grupo de madeireiros para executar o líder comunitário.
Depois de prestar depoimentos ao delegado José Dias Bezerra, que preside o inquerito policial, Vilson Gonçalves foi recolhido. Ainda na tarde de quinta feira o vice prefeito de Rurópolis foi transferido para a casa penal de Itaituba.
A noticia da prisão de Vilson surpreendeu amigos e a população de Ruropolis já que ele é considerado uma pessoa pacifica e de sucesso e nunca teria se envolvido em episódio similar.

Com informações e imagens do blog Garimpando noticias e de José barros.
Itaituba hoje
Reações:

0 comentários :

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação !

Aquivo deste blog